Skip to content

O pequeno dilema de vestir-se bem

11/10/2010

Definitivamente, eu não sou a primeira e não serei a última a falar sobre esse assunto. Não se pode ditar exatamente para alguém como realmente se vestir, isso é uma coisa muito pessoal mas há umas dicas que, para aqueles com dificuldade, podem ajudar a conquistar um estilo próprio sem medo. Aqui vão algumas:

1) Vontade e se desprover de preconceitos:
Pode parecer estranho para alguns, mas há quem não se sente bem em se produzir. É triste admitir que ainda haja aquela mentalidade retrógrada de que vestir-se bem e se interessar por moda é sinônimo de futilidade. Esse pensamento ainda influencia muito as pessoas, que se reprimem e se envergonham por querer mostrar mais identidade usando a moda como ferramenta. Por isso, é preciso se sentir livre de julgamentos e preconceitos, tanto próprios quanto alheios. Moda é muito mais personalidade do que exibicionismo em si, não tem que ter vergonha disso. Se você se livrar desses dois “diabinhos” e se aliar à força de vontade, já tem um bom caminho andado para ter um estilo próprio.
(Enfim, este tópico é polêmico, com vários pontos a serem ainda considerados e poderia ser estendido mas… não vou fugir do foco!)

2) Conhecer o seu corpo e bom senso:
A maioria dos deslizes fashions que acontecem são devido a falta de conhecimento das próprias medidas. Eu e Lili temos grandes 1.52, e apesar de sermos loucas para ter uma, não ficaríamos tão bem com uma bota over the knee, por exemplo. Apesar de que é importante saber o que cai e não cai bem com o seu tipo físico, isso não é uma regra, aliás, nada na moda é regra! (Lembra da Alinne Moraes na novela Duas Caras, que fez várias mortais desejarem aquele cabelo? Então, aquela franja da qual todos falavam não era aconselhada para o rosto dela? Me diz se ela não arrasou com aquele picumã? Então…)
No mais, não tem muito segredo: é vestir a roupa e o bom senso e ir pra frente do espelho. Tá se sentindo bem? Então é isso ai!

 

3) Referência:
Você tem dó de comprar determinadas revistas de moda por considerar o preço salgadinho? Eu não te culpo, eu também! Mas te culpo se você usar isso como desculpa porque sinceramente, não é. É impossível que a tal saturação de blogs e sites de moda que tanto insistem em falar seja algo totalmente negativo. É tanto site por aí que a informação fica de fácil acesso e essa grande quantidade te deixa livre para eleger os seus blogs/sites sagrados de todo dia. Após escolher os seus preferidos, você passará a formar melhores opiniões sobre os desfiles, tendências, dicas e etc. e traduzirá isso para o seu estilo. A peça chave, neste caso, não é aquele pretinho básico e sim leitura, informação.

4) Paciência:
Comprar roupa é paciência. Eu sei que a gente compra muitas vezes por impulso, mas não deve ser assim sempre, porque pode funcionar e pode ser também que aquela peça que você adquiriu “do nada” seja usada uma vez e fique no fundo do armário. Fala sério, desperdício total! E em pleno 2010 não podemos descartar a compra pela internet, a gente poupa tempo, mas a dedicação na hora da procura é a mesma, não tem como fugir muito disso. E quer falar mais de dedicação? É só falar de brechós! Valem super a pena, a sensação de encontrar um achado é boa demais e sem contar que precisamos valorizar nosso dinheiro [/meupai]. E por falar em dinheiro…

5) Dinheiro:
É, não vamos ser hipócritas, a gente precisa de dinheiro! Claro que tudo depende de quanto você tem e de quanto pretende gastar com roupas, cada um, cada um. Já está mais que provado que dinheiro não é o principal fator para vestir-se bem, prova disso é que este é o último item da lista. Desvirtuando um pouco do assunto, acho que vestimenta, independentemente de marca, está cara. E quando falo isso, falo pensando em lojas como C&A e Renner, onde muitas vezes deixo de levar algo por achar que aquilo não vale tanto assim, e tem sempre aquelas marcas tops que “viajam” colocando o preço de uma camiseta podrinha lá nas alturas, e mesmo assim há quem compre. Vai entender! Enfim, com o seu conhecimento prévio já adquirido no ítem 3, você saberá qual peça valerá o investimento.

Lembrando: são apenas dicas e não regras!

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Gabi Dourado permalink
    11/10/2010 14:21

    Amei o post!!!!

  2. Luisa permalink
    05/01/2011 23:17

    amei o post. Concordo plenamente, alem do mais a vergonha de se vestir “Bem” e ser julgada na rua eu tambem acho que é um grande fator. Imagina uma mulher com over the knee boots no meio da augusta, iriam achar que ela era de duas uma, prostituta ou louco, o que é um absurdo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: