Skip to content

Moda Comercial X Moda Conceitual

30/06/2010

“Mas quem usa essas roupas?”
Isto é o que mais ouvimos das pessoas comentando sobre um determinado desfile e temos que admitir que é verdade por um simples motivo: Se não fosse por Lady Gaga, ninguém as usariam mesmo.

Na maioria dos desfiles que acontecem nas semanas de moda do mundo todo, é apresentado para nós uma moda mais conceitual, onde o que realmente importa é o tecido, o corte, a inspiração, pesquisa e a história que há por trás daquela roupa e não apenas o visual em si, não é a toa que moda é considerada arte. Portanto, as roupas podem passar por um tipo de reavaliação e reforma e não vão, necessariamente, serem comercializadas exatamente do jeito que as vimos na passarela.
Partindo para o outro lado, há a moda comercial, que pode facilmente sair da passarela e ir direto para as lojas. Não que não haja uma preocupação com a fabricação e com tudo que foi citado anteriormente, porém não é esse o ponto principal que a marca que produz a tal “moda comercial” quer atingir, e sim a maioria das pessoas que obviamente, querem se vestir bem mas não são fashionistas.
Na minha cabeça funciona mais ou menos assim: Se você alguma vez já escutou “Você tem estilo, é bem exótica” ou algo similar é porque seu estilo tende a ser mais conceitual kkk. Enfim, isso é uma teoria minha e exatamente por isso não deve ser levada muito a sério.

Geralmente, as tendências demoram um pouco para serem assimiladas e para finalmente estarem nas lojas e há quem perca o interesse por determinadas peças quando elas chegam a este estágio (quando a maioria das pessoas começam a simpatizar com a tal peça e passam a usar) dizendo que foram banalizadas – em outras palavras, deixou dizer conceitual, virando comercial.
Muitas vezes acontece, uma coisa pode ficar saturada e a gente cansa mesmo mas também, partindo do princípio de que ninguem pode ditar o que deve ou não ser usado, pode ser que haja um certo egoísmo e infantilidade da nossa parte por às vezes, mesmo que involuntariamente, pensarmos dessa maneira “eu posso usar, você não”.
Do mesmo jeito que querer ser igual a todos é falta de personalidade, ter essa ânsia de ser sempre diferente também é. Bom mesmo, é usar o que quiser usar, quando quiser usar, até porque, quem tem criatividade e sabe se vestir bem, se sobressai naturalmente, não é mesmo?

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 30/06/2010 23:46

    belo post Isa!

    eu sempre tive um pouco de dificuldade de entender o que era exibido nas passarelas, até que pesquisei um pouco e descobri essa questão “conceitual”, mas até hoje não sabia exatamente O PORQUÊ e qual a finalidade disso (tampouco sabia sobre os tecidos, os cortes e as inspirações).

    ADOREI! =D

  2. 30/06/2010 23:47

    Adoooooooorei o post, muito bem explicadinho!
    :)
    parabéns viu!
    Camila NTF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: